22/03/2017

É mais fácil...


«Na dimensão pessoal, poucas pessoas desenvolvem um ponto de vista sobre o que poderiam fazer para libertarem o seu potencial, poucas tomam as "posições" que farão a diferença e poucas seguem as vias que criam autoconhecimento e mestria. É mais fácil deixar que a vida nos conduza do que conduzi-la.

Na dimensão corporativa, poucos presidentes executivos desenvolvem um ponto de vista sobre o que tornará as suas instituições verdadeiramente distintivas, poucos tomam posições originais que farão alguma diferença e poucos fazem o suficiente para influenciar o resultado. É mais deixar que o ambiente de negócios, os mercados ou os reguladores nos conduzam do que sermos nós a conduzi-los.

Na dimensão da política nacional, poucos presidentes e primeiros-ministros possuem uma visão clara do potencial dos seus países, poucos tomam posições que libertem o potencial do seu povo ou criem mudanças positivas e poucos influenciam os seus países suficientemente de modo a provocar uma diferença significativa na prosperidade e desenvolvimento do seu povo. É mais fácil passar o tempo a lidar com as políticas da governação do que a liderar.

Na questão da guerra e dos assuntos internacionais, poucos líderes desenvolvem um ponto de vista sobre a relação ideal entre eles próprios e os seus inimigos, poucos tomam posições que conduzam à melhoria das relações internacionais e poucos influenciam o curso que conduzirá à paz, prosperidade e liberdade acrescentadas. É mais fácil defender a própria ideologia e bem-estar e evitar o conflito ou desencadear uma guerra.»


O Mestre em Estratégia - Poder, Objetivos e Princípios, Ketan J. Patel, maio 2006, Editorial Presença

Sem comentários:

Enviar um comentário

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...