18/07/2016

O amanhã


O mundo está estranho... desordenado, incerto, inseguro...
Todas as certezas que se tinham, o caminho para o qual se percorria parece estar a tombar. Luta-se pela continuação do sonho de um mundo melhor, democrático, pacifista, ordenado e igualitário, mas parece que tudo enlouqueceu. Ideais nefastos que se julgava estarem a perder força estão a tomar território e as pessoas encontram-se desorientadas. Seja pelo mundo grande lá fora que não oferece certezas, seja pelo seu próprio mundo, que nos empregos, já não se pode pensar para além de um mês; ou em certos valores que se tomavam por certos, familiares e de amizade.

É um tempo incerto, um tempo em que a roupa que vestimos durante tantas décadas se começa a romper, desgastada, que usámos sem que déssemos conta que ela se encontrava já tão frágil.

Que vai trazer o amanhã? Já ninguém sabe. E por mais aventureiro que seja um coração, este necessita sempre de um canto onde possa repousar.

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...