17/06/2016

Relato do tempo



«O número de mortes há muito que excedeu aquele dos que alguma vez viverão. A noite do tempo superou largamente o dia, e alguém saberá quando foi o equinócio? Cada hora soma-se a essa aritmética corrente, incapaz de se deter por um momento [...] Quem sabe se o melhor dos homens será reconhecido, ou se não existirão mais pessoas extraordinárias esquecidas do que aquelas que são recordadas no relato do tempo?»

Sir Thomas Browne, Urne Buriall (1658)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...