13/05/2016

As etapas do Homem na pré-história - O Neolítico


Face à economia própria do Mesolítico, essencialmente depredadora, nalgumas zonas surgiu uma relação homem-meio certamente distinta. O homem tornou-se produtor e explorou activamente novos recursos, como a criação de gado e a agricultura. Pôde, assim, controlar a sua subsistência  e ampliou as possibilidades de que dispunha anteriormente, a caça e a recoleção que passaram a ocupar um papel muito menos importante na economia do homem.
As primeiras espécies agrícolas cultivadas pelo homem foram o trigo e a cevada. Já na pecuária, assistiu-se à criação de ovelhas, cabras, e posteriormente, do porco e do boi. Estas inovações implicaram novas técnicas para trabalhar os campos, novos instrumentos, como foices, moinhos, etc. Surgiram povoações mais ou menos estáveis e indústrias como a tecelagem, o polimento da pedra, a cestaria e a cerâmica. No entanto, há que ter em conta que a presença deste último elemento não é determinante de uma economia neolítica, pois verifica-se em populações que não são propriamente agrícolas e pecuárias. Os centros originários da economia neolítica são dois:

  • o Próximo Oriente (Irão ocidental, Iraque, Turquia, e possivelmente, as regiões da Trácia e da Macedónia), entre 8.000 e 7.000 a.C.;
  • a América Central, entre 3.000 e 2.000 a.C.
A partir do primeiro foco, a cultura difundir-se-á para ocidente, dando origem a dois tipos de Neolítico conforme o seu grau de adaptação: primário e secundário. O primário dá-se numa zona de condições favoráveis, com um substrato mesolítico pouco importante: será o caso da Europa central e dos Balcãs. O Neolítico secundário desenvolve-se quando a cultura mesolítica toma importância, dando-se um fenómeno de aculturação. É o caso da Europa Ocidental.

Os Balcãs
Em Chipre surge  a cultura de "Kirokitia" (5.800 a 5.200 a.C.); a presença de foices e moinhos de mão parece indicar a existência de de agricultura. Aparecem, igualmente, restos ósseos de ovelhas, cabras e talvez porcos. Na Grécia, o Neolítico encontra-se representado nas suas diferentes fases pelas jazidas de "Nea-Nikomedia" e "Sesklo" ambas por volta de 6.000 a.C., e "Dimini" (3.700 a.C).
Nas regiões a que hoje correspondem à antiga Jugoslávia, Bulgária e Hungria estende-se a cultura "Starcevo", entre 5.000 e 4.000 a.C.

Europa Central
Nesta zona o Neolítico aparece totalmente constituído no início do 5º milénio a.C. Nesse momento as terras que se estendem da Hungria até à foz do Óder e da Bélgica até ao Vístula estavam ocupadas por grupos possuidores de uma cultura neolítica, a cultura da "cerâmica de barras"que se torna a sua cerâmica mais representativa, decorada com motivos em forma de barras lineares, espirais, etc. A cultura de "Rössen" estende-se da Alemanha central ao sudoeste e à Alsácia, por volta da segunda metade do 4º milénio. A cultura de "Michelberg" localiza-se na Suiça oriental, no sudoeste e no centro da Alemanha, de meados do 4º milénio a meados do 3º milénio. A cerâmica não é decorada, com excepção de algumas linhas ponteadas e impressões de dedos. Alguns recipientes apresentam um fundo pontiagudo.

Europa Setentrional
Por volta de 4.000 a.C. introduziu-se a economia Neolítica e a cerâmica, surgindo a cultura dos "jarros com gargalo em funil". Durante este período cultivou-se trigo e cevada. Aparecem ossos de cabras, ovelhas e gado vacum.
O Neolítico Médio é caracterizado pelos túmulos em forma de corredor. O Neolítico final começa em meados do 3º milénio a.C.

Europa Ocidental
A cultura de Cortaillod ocupa a Suiça meridional e ocidental e o leste da França. A sua cronologia estende-se entre a segunda metade do 4º milénio e a primeira metade do 3º milénio. O elemento mais característico é a construção das suas habitações, as palafitas. No início, pensava-se que eram construídas sobre água. Ataulmente, a ideia mais aceite é que foram erigidas sobre terrenos secos ou pantanosos.
Em França surge a cultura de Chassey, cuja indústria lítica deriva da mesolítica. A cerâmica é de tons escuros e polida. A sua economia baseia-se na agricultura e na pecuária. Criavam porcos, cabras e grandes ruminantes. Por volta de 2.500 a.C. estende-se pelo nordeste da França a cultura de Seine-Oise-Marne.
A cultura mais representativa de Inglaterra é a de Windmill-Hill, em Wessex e Sussex, que depois se estendeu por todo o sul da ilha.
Na Península Ibérica o Neolítico começa por volta do 5º milénio. O Neolítico inicial é representado pela cultura da "cerâmica cardial", que se estende pelas áreas litorais mediterrânicas. O Neolítico Médio tem o seu expoente na cultura dos "sepulcros de cova" na Catalunha, a dos "vasos de boca quadrada" na Catalunha, Valência, Granada, el Argar e Estremadura, e a chamada "cerâmica de almagra".  No Neolítico final sobrevivem as culturas proprias da fase anterior, que nalguns lugares se misturaram com culturas metalúrgicas e noutros evoluiram paralelamente ao início do Calcolítico e do Magalítico.



Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...