28/03/2016

Botsuana

                       


Botsuana, Botswana, oficialmente a República de Botswana é um país interior localizado no Sul de África. Os cidadãos referem-se a si mesmos como «Batswana» (no singular, Motswana). Antigo protectorado britânico de Bechuanalândia, Botswana adoptou o seu novo nome após a independência da Commonwealth a 30 de Setembro de 1966. Desde a independência que teve eleições democráticas de forma ininterrupta.

Botsuana é plano e até 70% do território está coberto pelo Deserto do Kalahari. Faz fronteira com a África do Sul, a sul e sudeste, com a Namíbia a oeste e norte e com o Zimbabué a nordeste. A fronteira com a Zâmbia no norte perto de Kazungula é pouco definida sendo de apenas algumas centenas de metros.
Sendo um país de dimensões médias, mas com apenas cerca de dois milhões de habitantes, o Botsuana torna-se um dos países com uma das populações mais esparsas do mundo. O Botsuana era um dos países mais pobres do mundo quando conseguiu a independência em 1966, no entanto o país tem seguido diversas transformações, tornando-se uma das economias com um maior crescimento económico do mundo, com um rendimento nacional alto, um dos mais elevados de África.
Sendo um dos membros a União Africana, tem uma tradição forte, uma representação democrática assim como o segundo maior Índice do Desenvolvimento Humano dos países subsarianos.


História

Durante o século XIX surgiram hostilidades entre os habitantes tswana do Botswana e as tribos Ndebele, que estava a fazer incursões no território a partir da zona nordeste. As tensões escalaram com os colonos Boer Alemães do Transval do este. Após vários apelos dos líderes Batswana, KhamaIII, Bathoen e Sebele por assistência, o Governo Britânico colocou a Bechuanalândia sob a sua proteção a 31 de Março de 1885. A parte norte do território continuou sob a administração directa como Protectorado Bechuanalândia e é a moderna Botsuana enquanto que o território a sul tornou-se parte da Colónio do Cabo e é parte da provincia do noroeste da África do Sul. A maioria dos falantes setswana vivem atualmente na África do Sul.
Quando a União da África do Sul se formou em 1910, as regiões para além das colónias principais britânicas na região, o Protectorado Bechuanalândia, o Basutolândia (atual Lesoto) e a Suazilândia, não foram incluidos, mas providenciou-se a sua futura entrada. No entanto, os seus habitantes começaram a ser consultados pelo Reino Unido, e embora os governos sucessivos da África do Sul procurassem ver os territórios transferidos, o Reino Unido foi protelando e, consequentemente, nunca aconteceu. A eleição do governo Nacionalista em 1948, que instituiu o apartheid, e a saída da África do Sul da Commonwealth em 1961, acabaram com quaisquer perspectivas de incorporar os territórios à África do Sul. A expansão da autoridade central Britânica e a evolução do governo tribal na década de 1920, estabeleceram dois conselhos consultivos para representar tanto os Africanos quanto os Europeus. As Proclamações em 1934 regularam o Estado tribal e poderes. Um Conselho Africano-Europeu foi formado em 1951 e em 1961 estabeleceu-se uma constituição e um Conselho Legislativo Consultivo.
Em Junho de 1964, o Reino Unido aceitou a proposta de um governo autónomo democrático no Botsuana. A sede de governo foi mudada em 1965 de Mafikengin na África do Sul, para o recentemente estabelecido Gaborone, próxima da fronteira. A constituição de 1965 levou às primeiras eleições gerais e à independência a 30 de Setembro de 1966. Seretse Khama, um líder do movimento independente foi eleito como primeiro Presidente, vindo a ser reeleito duas vezes.

Geografia

Com 581.730 km2, o Botsuana é o 48º país de maiores dimensões do mundo. A nível dimensional é comparável a Madagáscar. Encontra-se entre as latitudes 17º 27º S, e longitudes 20º e 30ºE.
O país é predominantemente plano, com tendências para um planalto ligeiramente ondulado. O deserto do Kalahari domina o país, cobrindo cerca de 70% da superfície do território. O Delta do Okavango, um dos deltas interiores de maiores dimensões do mundo, está situado a noroeste. O Salar Makgadikgadi encontra-se situado a norte.
Rio Limpopo
A Bacia do Rio Limpopo, o maior acidente geográfico do sul de África, está parcialmente situado no Botsuana, em cuja bacia os seus afluentes Notwane, Bonwapitse, Mahalapswe, Lotsane, Motloutse e o Sashe se encontram localizados na parte ocidental do país. O Notwane fornece a água à capital através da Barragem Gabarone. O rio Chobe está situado a norte, fazendo a fronteira entre o Botsuana e a região Zambezi da Namíbia. O rio Chobe encontra-se com o rio Zambezi no Kazungula.





Ecologia
O Botsuana possui diversos habitats de vida selvagem. Para além do delta e das áreas desérticas, existem pradarias e savanas, onde se podem encontrar connochaetes taurinus (uma das duas espécies de gnus), antilopes e outros mamíferos e aves.O Botsuana Norte tem uma das populações mais largas que ainda existem do Cão Selvagem Africano em vias de extinção. O Parque Nacional Chobe, no distrito Chobe, tem uma das maiores concentrações mundiais de elefantes. O parque cobre cerca de 11.000km2 e abriga cerca de 350 espécies diferentes de aves.
O Parque Nacional Chobe e a Reserva de Caça Moremi (no Delta Okavango) são os destinos turistas com maior afluência. Outras reservas incluem a Reserva Central de Caça do Kalahari, localizada no deserto do Kalahari, no distrito Ghanzi; o Parque Nacional Salar Makgadikgadi e o Parque Nacional Salar Nxai, localizados no distrito Central, no Salar Makgadikgadi. A Reserva de Caça Mashatu é privada, localizada no ponto onde os rios Shashe e Limpopo se encontram. Outra reserva privada é a Reserva Natural Mokolodi, perto do Gaborone. Existem igualmente santuários especializados como o Santuário de Rinocerontes do Khama (para rinocerontes) e o Santuário Makgadikgadi (para flamingos). Estão ambos localizados no Distrito Central.


Problemas Ambientais



O Botsuana enfrenta dois problemas ambientais principais: seca e desertificação. Sendo que a desertificação é uma consequência das secas severas que o país sofre. Três quartos das populações humanas e animal dependem de águas subterrâneas. De certa forma, o uso das águas subterrâneas através de furos, aliviou os efeitos da seca. A água à superfície é escassa e menos de 5% da agricultura do país é sustentada com chuvas. Devido a este facto, 95% do país cria gado e pecuária como meio de rendimento.
Cerca de 71% da terra é usada para pastoreio comunitário, que tem sido uma das principais causas da desertificação e erosão dos solos.
Uma vez que a pecuária tem mostrado ser rentável para a população do Botsuana, a terra continua a ser explorada e as populações animais continuam a crescer de forma dramática. De 1966 a 1991 a população pecuária sofreu um aumento de 1,7 milhões para 5,5 milhões de cabeças. De forma semelhante, a população humana aumentou de 574.000 em 1974 para 1,5 milhões em 1995 e para 2.038.228 habitantes em 2011. "Mais de 50% das casas no Botsuana possuem gado, que é a maior fonte de rendimento rural atual". "A degradação das pastagens ou desertificação é vista como a redução da produção da terra como resultado de um excesso de pecuária e pastagens ou a colecta de produtos da savana para comércio. A degradação é agravada pelos efeitos da seca e mudança climática" - Relatório Rala por Michael B.K. Darkoh. Os ambientalistas avisam que o Delta Okavango está a secar devido ao aumento de pastagens. O Delta Okavango é o maior pantanal semi-florestal do Botswana, sendo um ecossistema crucial para a sobrevivência de muitas espécies de animais.
Já se iniciaram projectos para a reintrodução de vegetação indígena nas comunidades do Kgalagadi Sul, Kweneg Norte e Boteti; com o objectivo diminuir a degradação dos solos.


Políticas e Governo

A Constituição do Botsuana é a norma jurídica que protege os cidadãos do Botsuana e representa os seus direitos. As políticas do Botsuana tomam lugar num quadro de uma República Democrática Representativa, onde o Presidente é tanto o chefe do Estado quanto o Chefe do Governo. Funciona por sistema multipartidário. O poder executivo é exercido pelo poder. O Poder Legislativo está investido tanto no Governo quanto no Parlamento do Botsuana.


Divisões Administrativas

O Botsuana está dividido em nove distritos: 1.Central; 2.Ghanzi; 3.Kgalagadi; 4.Kgatleng; 5.Kweneng; 6.Nordeste; 7.Noroeste; 8.Sudeste; 9.Sul


Economia

O Banco do Botsuana serve como banco central com o fim de desenvolver e manter a pula (a moeda do país). Desde a independência que o Botsuana tem tido um dos rácios de crescimento per capita mais rápidos do mundo. O Botsuana transformou-se de um dos países mais pobres do mundo para um país de rendimento médio.
O Ministro do Comércio e Industria do Botsuana é responsável pela promoção do desenvolvimento dos negócios do país. De acordo com o FMI, a média de crescimento entre 1966 e 1999 foi de 9%. Este país mostra um nível elevado de liberdade económica comparado com outros países africanos. O governo tem mantido uma política fiscal sólida, apesar de algumas dificuldades. Ganhou o rating de crédito soberano mais elevado de África.
A constituição proíbe a nacionalização de propriedade privada e prevê um sistema judicial independente. O sistema legal é suficiente para assegurar relações comerciais seguras, apesar de um sério e crescente acumulo de casos judiciais que impede a resolução destes a tempo eficaz.
A protecção dos direitos de propriedade intelectual melhorou de forma significante.
Apesar da abertura à participação estrangeira na sua economia, o Botsuana reserva alguns sectores apenas para os seus cidadãos.O investimento estrangeiro tem um papel muito importante na privatização das empresas. Os procedimentos burocráticos são simplificados, mas lentos.
O Botsuana import produtos de petróleo refinado a petróleo refinado e eletricidade da África do Sul, apesar de alguma produção doméstica de eletricidade a partir de carvão.

Minerais
No Botsuana o Departamento das Minas e o Ministro dos Minerais, Energia e Recursos Hídricos mantêm dados sobre a mineração por todo o país. O governo do Botsuana detém 50% da Debswana, a maior mina de diamantes a funcionar no país. Os minerais fornecem cerca de 40% de todas as receitas do Estado. Em 2007 foram descobertas quantidades significativas de urânio. Diversas companhias internacionais de minério estabeleceram a sua sede no Botsuana, e fazem a prospecção de diamantes, ouro, urânio, cobre e óleo.
A mina de diamantes Orapa é a mina de diamantes com maiores lucros a nível mundial.


Demografia

O maior grupo étnico do Botsuana são os Tsuana, que perfazem cerca de 79% da população do país. Os grupos étnicos minoritários são os BaKalanga, San ou Aba Thwa, Bayei, Bambukushu, Basubia, Baharero e Bakgalagadi. Para além destes grupos, existem pequenos grupos de populações branca e indiana. A população indiana do Botsuana é formada por Afro-Indianos de várias gerações de Moçambique, Quénia, Tanzânia, Maurícias, África do Sul, assim como por uma primeira geração de imigrantes indianos. A população branca fala inglês e africaner e constitui cerca de 3% da população.
Devido à deterioração da economia no Zimbabué, os habitantes deste país têm crescido em número no Botsuana.
Rapazes Tswana de http://kwekudee-tripdownmemorylane.blogspot.pt/2013/03/tswana-are-niger-congo-or-bantu.html

Menos de 10.000 San ainda vivem segundo o estilo tradicional de caçador-recolector. Desde meados de 1990 o governo central do Botsuana tem tentado deslocar os San das suas terrs. O alto funcionário da ONU para os direitos dos povos indígenas, Prof. James Anaya, condenou as acções de Botsuana, num relatório de 2010, relativo às acções deste com os San.
Grupos étnicos: Tsuana - 79% ; Kalanga - 11% ; Basarua - 3% ; Kgalagadi - 3% ; Brancos - 3% ; Outros - 1%


Línguas

A língua oficial do Botsuana é o inglês, apesar do setsuana ser bastante falado no país.
Outras línguas faladas no país incluem o Kalanga (sekalanga), Sarua (sesarua), Ndebebe e em algumas partes, africanês.


Religião

Cerca de 70% dos habitantes do Botsuana identificam-se a si mesmos como sendo cristãos, destes a maioria são Anglicanos, Metodistas e pertencentes à Igreja Congregassional Unida do Sul de África, mas também existem Luteranos, Baptistas, da Igreja Reformada Holandesa, Menonitas, Católica Romana, Adventista Sete Dias, Mormones e Testemunhas de Jeová.
De acordo com o censos de 2001, o país tem cerca de 5.000 muçulmanos, a maioria do Sul da Ásia, 3.000 hindus e 700 Baha'is.
Cerca de 20% da população não abraçam nenhuma religião.


Educação

O Botsuana obteve grandes progressos no desenvolvimento educacional desde a data da independência em 1966. Aquando dessa altura haviam muitos poucos licenciados e só uma pequena percentagem da população frequentava o ensino secundário. O botsuana aumentou a taxa de alfabetização de 69% em 1991, para 83% em 2008.
Com a descoberta de diamantes e os lucros que isso trouxe ao governo, houve um grande investimento na Educação do Botsuana.Foi garantido a todos os estudantes dez anos de educação básica, em que no final desta obtinham um Certificado Júnior. Cerca de metade da população frequenta uma média dos dois anos a mais, a escola secundária, o que leva a obterem o Certificado Geral Botsuana de Educação Secundária. A Educação secundária no Botsuana não é nem grátis nem obrigatória.
Após deixarem a escola, os estudantes podem optar entre uma das escolas técnicas do país ou por um dos cursos vocacionais. Os melhores alunos entram para a Universidade Botsuana, para a Faculdade Botsuana de Agricultura e para a faculdade Botsuana de Contabilidade. Muitos dos outros estudantes acabam numa das numerosas Faculdades Privadas espalhadas pelo país. Uma destas escolas privadas, que oferece cursos em Contabilidade, Gestão ou Informática, que se destaca é a Universidade de Botho. Outra é a Universidade Limkokwing de Tecnologia Criativa, entre outras. As imensas melhorias que se têm feito nas universidades privadas, estão a fazer com que os melhores alunos se candidatem a elas também. A maior parte destes estudantes tem bolsas estatais.
No entanto, apesar dos esforços feitos a nível superior, as escolas primárias ainda mostram falta de recursos, e os professores destas têm salários muito menores, comparativamente, do que os colegas do secundário ou do superior. De forma a tentar combater esta falta, o Ministro da Educação do Botsuana está a trabalhar no sentido de implementar bibliotecas nas escolas primárias em parceria com o Projecto De Bibliotecas Africano.
O governo espera que ao investir grande parte dos seus recursos na educação, o país venha a tornar-se menos dependente dos diamantes.


Saúde

A expectativa de vida à nascença, em 2009, era de 55 anos, de acordo com o Banco Mundial, tendo caído de 64,1 anos em 1990 e subido de um valor de 49 anos em 2002.
Como acontece noutros países da África sub-sariana, o impacto económico da epidemia HIV/SIDA é considerável, O Botsuana tem sido fortemente atingido pela pandemia da SIDA. Em 2006 foi estimado que a expectativa no nascimento tinha caído de 65 para 35 anos. No entanto, depois do censo de 2011, a expectativa de vida atual está estimada em 54,5 anos. Esta revisão mostra a dificuldade em obter números exactos do impacto do HIV/SIDA.


Cultura

Para além de se referie ao idioma do grupo dominante do Botsuana, o setsuana também é o adjectivo para descrever a cultura tradicional rica, seja de membros pertencentes ao grupo étnico Tsuana, seja de qualquer cidadão do Botsuana.
O escritor escocês Alexander MacCall Smith escreveu novelas populares acerca do Botsuana, que entretêm ao mesmo tempo que fornecem ao leitor informações acerca da cultura e costumes do Botsuana.




Música
A música do Botsuana é essencialmente vocal acompanhada por vezes com tambores, dependendo da ocasião. Também são usados instrumentos de cordas. A música tradicional do Botsuana tem instrumentos como a setinkane (a versão botsuanesa de um piano em miniatura), a segankure/segaba (versão botsuanesa do instrumento chinês Erhu), Moropa (Meropa no plural, tambores, existe uma vasta gama), (phala (uma espécie de apito. O som das mãos também é usado para acompanhar as músicas, contra, ou não a phathisi (pele de cabra virada ao contrario - só é usada pelos homens).
Nas últimas décadas a guitarra tem sido usada, pois oferece uma variedade vasta de sons de corda. O ponto alto de qualquer celebração é a dança, que difere por regime, idade, género e status no grupo, ou se é uma actividade tribal.


Artes visuais
Na parte norte do país, as mulheres das vilas de Etsha e Gumare são conhecidas pelos seus dotes na elaboração de cestos de palmeiras Mokola e corantes locais. Os cestos geralmente são tecidos em três tipos:




Cestos do Botswana.
De http://www.pambaboma.com 

largos, cestos com tampa usados para armazenamento; largos, cestos abertos para carregar objectos na cabeça ou para peneirar grãos debulhados; mais pequenos, para peneirar grãos batidos.
A arte destes cestos está em constante aprimoramento à medida que estes são cada vez mais produzidos para uso comercial.
Outras comunidades artisticas notáveis incluem A Olaria Thamaga e os tecelões Oodi, ambos localizados na zona sul do Botsuana.
As pinturas mais antigas do Botsuana e África do Sul, representam cenas de caça, animais e figuras humanas, e foram feitas pelos Khoisan há mais de 2000 anos atrás no deseto do Kalahari.


Alimentação
A cozinha de Botsuana é única, mas partilha algumas características com outra gastronomia da parte sul de África. Exemplos de pratos botsuaneses são o Pap, o Boerewors, a Samp, Vetkoek e vermes mopani. Uma comida única no Botsuana é o seswaa, carne amassada com bastante sal.



Turismo
A Organização do Turismo do Botsuana é o grupo oficial de turismo do país. Em primeiro lugar encontra-se Gaborone, devido ao facto de a cidade ter diverasas actividades para os visitantes.
O Lion Park Resort é o parque de diversões mais frequentado do Botsuana.
O turismo no Botsuana também inclui o Clube de Iates de Gabarone, o Clube de Pescas do Kalahari, a Barragem de Gabarone e a Reserva Natural Mokolodi. Existem cursos de golfe oferecidos pela União de Golf do Botsuana.
Para além das muitas reservas naturais, o Botsuana ainda tem para oferecer vários museus: o Museu Nacional do Botsuana em Gaborone, o Museu Kgosi Bathoen II (Segopotso) em Kanye, o Museu kgosi Sechele I em Molepolole; o Memorial Khama III em Serwe, o Museu Nhabe em Maun, o Museu Phuthadikibo em Mochudi e o o Museu Central Supa Ngwano.




Bibliografia

http://en.wikipedia.org/wiki/Botswana

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...