01/12/2015

Tétis - Titanide

Na mitologia grega, Tétis, fila de Úrano e Gaia era uma titânide arcaica e uma deusa aquática marinha, invocada muitas vezes na poesia grega clássica, mas sem culto. 
Personificava o mar e a fertilidade das águas.

Mitologia

Tétis era tanto irmã quanto esposa de Oceano. Tétis e Oceano aparecem como um par em Calímaco (hino 4.17) e em Apolónio (Argonauta 3.244). Em Catulo 88, nem mesmo Tétis e Oceano conseguem "lavar "as manchas de incesto" de Gelli. S.J. Harrison aponta a alusão irónica de Catulo, do casal irmão neste contexto. Tétis era a mãe dos principais rios do mundo conhecido pelos gregos, como o Nili, o Alfeu, o Meandro, e de  de três mil filhas, as Oceanides, assim como de três mil rios, como filhos.

É considerada como uma encarnação das águas do mundo, também pode ser vista como uma contraparte de Talassa, a personificação do mar.


Origem

Embora os vestígios sejam indicadores de que tenha tido um forte papel nos tempos antigos, Tétis não tem praticamente nenhuma presença nos textos literários gregos, ou registos históricos de culto. Walter Burket afirma que "Tétis não é de forma alguma uma figura ativa na mitologia grega", mas nota a presença da divindade aquática no episódio da Iliada XIV, chamado "o Engano de Zeus", onde Hera, para enganar Zeus, diz que quer ir a Oceano "a origem dos deuses" e Tétis "a mãe". Burket vê no nome uma transformação do acadiano Tiamtu ou Tâmtu, "o mar", que é reconhecido em Tiamat.
Como alternativa, o nome pode simplesmente derivar do grego antigo têthe, que significa "mulher velha", "avó", sendo que, muitas vezes, é mostrada como um ser extremamente antigo.

Outros mitos relacionados com Tétis

Durante a guerra contra os titâs, Tétis criou e educou Hera como sua enteada. Hera foi levada por Reia a Tétis, mas não existem registos de cultos ativos em tempos históricos. Como reconhecimento pelos cuidados que Tétis lhe deu, Hera reconciliou a titanide com Oceano quando o casal se desentendeu.
Um mito em que é indicado o poder de Tétis, é o que relata que a proeminente deusa do Olimpo, Hera, não estando satisfeita com as posições de Calisto e Arcas no céu, como as constelações da Ursa Maior e Ursa Menor, pediu ajuda a Tétis. Esta, uma deusa marinha, fez com que as constelações circulassem no céu para sempre e nunca descessem abaixo do horizonte.
Passeia pelo mundo numa concha de marfim, puxada por cavalos brancos. 

O nome Tétis é o mesmo, em português, que sua neta, a nereida Tétis, filha de Dóris (uma das oceânides) e mãe de Aquiles; porém em grego os nomes são diferentes: a titânide se escreve Τηθύς (tethys) e a nereida Θέτις (thetis).



Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...