01/12/2015

Nix

É a deusa grega (ou a personificação) da noite. Uma figura de sombra, Nix encontrava-se no, ou perto, do início da criação, e era a mãe de outras divindades personificadoras como Hipnos (Sono) e Tanatos (Morte). A mitologia sobrevivente não mostra muito da sua aparência, no entanto mostra que era uma figura de um poder e beleza excepcionais, e era temida pelo próprio Zeus. Encontra-se nas sombras do mundo e só é vista de relance.


Nix é a patrona das feiticeiras e bruxas, deusa dos segredos e mistérios nocturnos, rainha dos astros da noite. No culto de Nix acreditava-se  que esta dava fertilidade à terra para brotar ervas encantadas, tinha um controlo total sobre a vida e morte, tanto dos homens como dos deuses.
Nix, tal como Hades, é detentora de uma capa que a torna invisível, assistindo assim ao universo sem ser detetada. Foi Nix quem colocou Hélio entre os seus filhos (Hemera, Éter e Hespérides) quando os outros Titãs tentaram assassinar o deus do sol.
Os filhos de Nix são a Hierarquia em poder para os Deuses, na sua maioria são divindades que habitam o mundo subterrâneo e representam as forças indomáveis que nenhum outro deus poderia conter. Segundo Ésquilo, as Erínias são filhas de Nix.
Nix aparece ora como uma deusa benéfica que simboliza a beleza da noite (semelhante a Leto), ora como ua deidade cruel do Tártaro, que profere maldições e castiga com terror noturno (Hécate e Astéria). Nix também é uma deusa da Morte, a primeira rainha do mundo das Trevas. Possuidora de dons proféticos, foi esta divindade quem criou a arma que Gaia entregou a Cronos para destronar Urano. Conhece o segredo da imortalidade dos deuses podendo tirá-la e transformar o deus num mortal, como fez com Cronos após este ser destronado por Zeus.
Algumas vezes, tal como acontecia com Hades, cujo nome evitava-se pronunciar, dão a Nix nomes gregos de Eufrone e Eulalia, isto é, Mãe do bom conselho. Há quem marque o seu império ao norte do Ponto Euxino, no país dos Cimérios; mas a zona geralmente aceite é na parte da Espanha, a Esméria, na região do poente, perto das colunas de Hércules, limite do mundo conhecido dos antigos.


Filhos

Desposou Érebo, de quem teve Éter (luz celestial) e Hemera (Dia). Mas sozinha, sem união a nenhuma outra divindade, procriara o inevitável e inflexivel Moros (o Destino), as Queres (morte em batalha), os gémeos Tánato (morte) e Hipnos (o Sono), Oniro (a legião dos Sonhos), Momos (escárnio), Oizus (Miséria), as Hespérides, guardadoras dos pomos de ouro, as Parcas (Deusas do destino), Némesis (deusa da vingança, justiça e equílibrio), Apáte (engano, fraude), Filotes (Amizade), Geras (Velhice), Éris (Discórdia), Limos (a Fome), Ftono (Inveja), Énio (Belona, deusa da carnificina), Lissa ( Loucura)  e Caronte, o barqueiro do mundo dos mortos.
Nix e o irmão Érebo eram os únicos deuses primordiais que podiam ter filhos com humanos.

Mitologia e Literatura

Hesíodo
Na Teogonia de Hesíodo, Nix nasceu do Caos, sendo a quinta divindade a emergir do vazio, depois de Gaia (mãe Terra), Tártaro (Trevas abismais), Eros (o amor da criação) e Érebo (a escuridão). 
Aquando da descrição do Tártaro, Hesíodo localiza neste submundo a morada de Nix, assim como dos seus filhos Hipnos e Tanátos. Hesíodo continua, dizendo que a filha de Nix, Hémera (Dia), deixa o Tártaro quando Nix entra nele, e volta quando Nix sai, num eterno ciclo.

Homero
Na Ilíada, o deus do sono, Hipnos, relembra a Hera de um antigo favor após o pedido da deusa de colocar Zeus a dormir. Ele já tinha colocado anteriormente Zeus a dormir a pedido de Hera, o que permitiu à deusa causar a Herácles (o qual estava a retornar por mar da Tróia de Laomedonte) grandes desgraças. Zeus ficou furioso e teria acometido Hipnos ao mar se este não tivesse fugido para junto da mãe, Nix, assustado. Zeus, com receio de irritar Nix, contém a sua fúria na baía e foi desta forma que Hipnos escapou à ira do deus ao apelar à sua poderosa mãe. Apenas perturbou Zeus mais algumas vezes, mas sempre com medo deste, e fugindo sempre para junto da mãe, que viria a confrontar Zeus com uma fúria maternal.
Homero refere-se a Nix como "A domadora dos Homens e dos Deuses", demonstrando como os outros deuses a respeitavam e temiam.

Outros
Nix tomou um papel mais relevante em vários poemas fragmentados atribuídos a Orfeu. Nestes, Nix, em vez de Caos, é o primeiro principio do qual toda a criação surge. Nesta tradição, todo o universo e os restantes deuses primais nasceram do Ovo Cósmico de Nix. Alguns poetas consideram-na a mãe de Urano e Gaia.

Culto

Na Grécia, só raramente é que Nix era o foco de um culto. De acordo com Pausanias, a deusa tinha um oráculo na acrópole de Megara. Mais frequentemente, Nix aparecia em plano de fundo de outros cultos, daí haver uma estátua chamada Nix no templo de Artemis em Éfeso. Os espartanos tinham um culto do Sono e Morte, concebidos como gémeos. 




Fonte
wikipédia


Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...