04/12/2015

Izanagi e Izanami

Dois deuses, Izanagi e Izanami, foram enviados para criar as ilhas, o que fizeram, erguendo-se na Ponte Flutuante celestial, e mergulhando a Lança Preciosa celestial nas águas, mexendo-as.


Agitaram o mar e, quando levantaram novamente a lança, a salmoura que gotejou da sua ponta empilhou-se e formou uma ilha. Descendo dos céus, Izanagi e Izanami, casaram nesta ilha e ergueram um pilar sagrado e um palácio espaçoso.
Ao descobrirem que os seus corpos eram diferentes, Izanagi perguntou à esposa, Izanami, se ela estava disposta a fazer nascer a terra. Quando esta concordou, o deus sugeriu: «Então vamos ambos caminhar à volta do pilar celestial e depois juntemo-nos.»
Depois de vários fracassos, começaram a gerar filhos, que são as ilhas do Japão.
Após ter gerado muitas ilhas e outras manifestações da natureza - quedas de água, montanhas, árvores, ervas e o vento -, Izanami morreu vítima de uma terrível febre. Izanagi seguiu-a até Yomi, o país dos mortos, mas era tarde demais: a deusa já havia comido no lar de Yomi. Pediu a Izanagi que a esperasse pacientemente, enquanto ela discutia com os deuses para saber se podia voltar, mas ele não foi capaz. Tirou o pente que ela usava, deitou-lhe fogo e entrou no recinto. O que viu foi horrível:

«Larvas retorciam-se e bramiam no cadáver da deusa. Na cabeça encontrava-se o Grande-Trovão; no coração, o Trovão-de-Fogo; no ventre, o Trovão Negro; nos órgãos genitais, o Trovão-Quebrado; na mão direita, o Trovão-Terra; no pé esquerdo, o Trovão-Sonoro; no pé direito, o Trovão-Reclinado. Em conjunto, haviam oito divindades do Trovão.»
Assustado com o que vira, Izanagi virou-se e fugiu. Envergonhada pelo seu comportamento, Izanami enviou as bruxas de Yomi perseguirem o deus, mas este conseguiu escapar-lhes através de truques mágicos.
Quando Izanagi chegou à fronteira entre o país dos vivos e o de Yomi, atacou as suas perseguidoras com três pêssegos que encontrara perto. Todas se voltaram e fugiram. Então, Izanagi disse aos pêssegos: «Assim como me salvaram, quando algum dos humanos estiver em apuros e angustiado, também vocês o salvarão.»
Finalmente, a própria Izanami veio em perseguição de Izanagi. Este arrastou um grande pedregulho, através da passagem entre Yomi e a terra dos vivos, e Izanagi e Izanami ficaram frente a frente, um de cada lado do pedregulho. Então, Izanami disse: «Meu amado marido, se assim fizeres, estrangularei por dia mil pessoas do teu país.» Ao que Izanagi replicou: «Minha amada esposa, se assim fizeres, construirei por dia 1500 abrigos de parto», querendo dizer com isto  que esse número de pessoas nasceria.
Assim, o casamento de Izanagi e Izanami cria o mundo natural, sendo a sua separação, ou «divórcio», o início da mortalidade.
No seu regresso ao mundo dos vivos, Izanagi limpa-se da conspurcação causada pela sua descida ao mundo subterrâneo através da purificação. Chegou à planície, junto à foz do rio, despiu as roupas e retirou todos os objetos que transportava no corpo. Quando cada um destes foi lançado para o chão, nasceu uma divindade. E quando Izanagi entrou na água para se lavar, nasceram. então, ainda mais deuses.



Introdução à Mitologia Oriental, Coordenação de Clio Whittaker, Editorial Estampa, Abril 2000




Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...