01/12/2015

Héstia

Corresponde à deusa romana Vesta, e é a deusa dos laços familiares, simbolizada pelo fogo da lareira.
Filha de Cronos e Reia, era uma das doze divindades olímpicas.
Cortejada por Poseidon e Apolo, jurou virgindade perante Zeus, recebendo desde a honra de ser venerada em todos os lares, ser incluída em todos os sacrifícios e permanecer em paz, no seu palácio cercada do respeito de deuses e mortais.
Embora não apareça com frequência nas histórias mitológicas, era admirada por todos os deuses, sendo a personificação da moradia estável, onde as pessoas se reuniam para orar e oferecer sacrifícios aos deuses. Era adorada como protetora das cidades, das famílias e das colónias.
A chama sagrada de Hétia estava sempre acesa nos lares e templos. Todas as cidades tinham o fogo de Héstia, colocada no palácio onde se reunia a comunidade. Este fogo deveria ser obtido diretamente do sol.
Quando os gregos fundavam cidades fora da Grécia, levavam parte do fogo da lareira como símbolo da ligação com a terra materna e com ele, acendiam a lareira onde seria o núcleo político da nova cidade.
Sempre fixa e imutável, Héstia simbolizava a perenidade da civilização.
Em Delfos, era conservada a chama perpétua com a qual se acendia a héstia de outros altares. cada peregrino que chegava a uma cidade, primeiro fazia um sacrifício a esta deusa.
O culto à deusa Héstia era simples, sendo na família, presidido pelo pai ou mãe, e nas cidades, pelas maiores autoridades políticas.



Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...