04/12/2015

Hanuman - O deus macaco

"Hanuman soube por Sampati, o irmão do rei dos abutres, que Sita tinha sido levada para a ilha distante de
Lanka, no mar, cem léguas em direcção ao sul. Como era o filho de Vayu, o deus-vento, Hanuman resolveu usar os seus poderes para saltar sobre o mar. Encheu os pulmões com vento do mar e, com um poderoso rugido, atirou-se para o cume de uma montanha. Tomando uma forma gigantesca, saltou no ar e lançou-se através do mar, como uma flecha. Contudo, o seu caminho através do ar foi barrado por demónios. Surasa abriu as enormes mandíbulas para o agarrar, mas Hanuman encolheu rapidamente, até ficar do tamanho de um polegar, e saltou da boca escancarada antes que esta fechasse. Depois, a sua sombra foi agarrada pelo dragão-fêmea, Sinhika, que o queria devorar. Porém, Hanumamn feriu-a, matou-a e continuou o seu caminho para a ilha.
Chegou à noite e transformou-se num gato, deslizando furtivamente à volta do sumptuoso palácio, em busca de Sita. Subiu as escadas de ouro e de prata, incrustadas de pedras preciosas, e encontrou os aposentos das mulheres. As formas perfumadas, adormecidas, pareciam uma coroa de botões de lótus aguardando o beijo do sol da manhã. Lá fora, entre árvores de Asoka, Hanuman viu a há muito perdida Sita. Guardada por ferozes e feios demónios com cabeças de cães e de porcos, nada receava. Embora Ravana a fosse ver diariamente, ameaçando-a com torturas e morte se ela não acedesse a casar-se com ele, Sita recusava, pois preferia morrer a ser infiel a Rama.

Hanuman aproximou-se secretamente da linda e triste Sita e mostrou-lhe o anel de Rama, que levava consigo. Ofereceu-se para a libertar, mas o pudor de Sita impedia-a de tocar no corpo de um homem que não fosse o seu marido. Em vez disso, entregou-lhe uma jóia do cabelo e pediu-lhe para dizer a Rama que teria apenas dois meses de vida se ele não a viesse salvar. Antes de partir, Hanuman decidiu destruir o que pudesse de Ravana. Transformando-se num macaco gigante, começou a arrancar árvores e a destruir o campo, mas foi ferido pelo filho de Ravana, o poderoso Indrajit, por uma serpente mágica em forma de flecha e aprisionado. Como provocação, Ravana deitou fogo à cauda de Hanuman e enviou-o a Rama. Todavia Sita rezou para o proteger e Agni, o deus do fogo, poupou-o. Quando fugiu do reino de Lanka, Hanuman conseguiu causar grande destruição, deitando fogo a muitas mansões, com a sua cauda flamejante. Quando voltou, Rama ficou radiante por ele ter encontrado Sita e fez imediatamente os preparativos necessários para a ir salvar."


Introdução à Mitologia Oriental, Editorial Estampa, Abril 2000

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...