07/12/2015

Desobediência a Deus

«A serpente, que era o mais astuto de todos os animais selvagens criados por Deus, disse à mulher: "Com que então Deus proibiu-vos de comerem do fruto de todas as árvores do jardim!" Mas a mulher respondeu-lhe: "Nós podemos comer o fruto das árvores do jardim. Só nos proibiu de comer do fruto da árvore que está no meio do jardim. Se tocássemos no seu fruto, morreríamos."


A serpente replicou-lhe: "Vocês não têm de morrer. De maneira nenhuma! O que acontece é que Deus sabe que, n dia em que comerem desse fruto, vocês abrirão os olhos e ficarão a conhecer o mal e o bem, tal como Deus."
A mulher pensou então que devia ser bom comer do fruto daquela árvore, que era apetitoso e agradável à vista e útil para alcançar a sabedoria. Apanhou-o, comeu e deu ao seu marido que comeu também. Nesse momento, abriram-se os olhos de ambos e deram-se conta de que andavam nus. Coseram então folhas de figueira, para com elas poderem cobrir a cintura. Nisto, ouviram que o Senhor Deus andava a passear no jardim, pela fresca da tarde, e o homem foi-se esconder com a sua mulher no meio das árvores do jardim. O Deus chamou pelo homem e perguntou: "Onde estás?"
O homem respondeu: "Apercebi-me de que andavas no jardim; tive medo, por estar nu, e escondi-me."
Deus perguntou-lhe: "Quem é que te disse que estavas nu? Será que foste comer do fruto daquela árvore, que eu tinha proibido?"
O homem replicou: "A mulher que me deste para viver comigo é que me deu do fruto da árvore e eu comi."
O Deus disse então à mulher: "Que é que fizeste?"
A mulher  respondeu: "A serpente enganou-me e eu comi."
Deus disse então à serpente: "Já que fizeste isto, maldita sejas tu entre todos os animais, domésticos ou selvagens. Terás que arrastar-te pelo chão e comer terra, durante toda a vida. Farei com que tu e a mulher sejam inimigas, bem como a tua descendência e e descendência dela. A descendência da mulher há-de atingir-te a cabeça e tu procurarás atingir-lhe o calcanhar."
E à mulher disse: "Vou fazer com que sofras os incómodos da gravidez e terás que dar à luz com muitas dores."
E ao homem disse: "Já que deste ouvidos à tua mulher e comeste do fruto da árvore da qual eu te tinha proibido de comer, a terra fica amaldiçoada por tua causa, e será com enorme sacrifício que dela hás-de tirar alimento, durante toda a tua vida. Só produzirá espinhos e cardos e tu terás de comer a erva que cresce no campo. Só à custa de muito suor conseguirás arranjar o necessário para comer, até que um dia te venhas a transformar de novo em terra, pois dela foste formado. Na verdade, tu és pó e em pó hás-de transformar de novo."
O homem, Adão, deu à sua  mulher o nome de Eva, isto é Vida, porque ela era a mãe de todos os seres humanos.
O Deus arranjou para o homem e para a sua mulher roupas de pele de animais para que se vestissem com elas.
Deus disse então: "O homem tornou-se semelhante a um deus, conhecendo o bem e o mal. Agora só falta que vá também colher do fruto da árvore da vida, para dele comer e ter vida para sempre!" Por isso, Deus, expulsou-o do jardim do èden e o homem teve que cultivar a terra, da qual tinha sido formado.
Depois de ter expulsado o homem, Deus colocou diante do jardim do Éden os querubins e uma espada de fogo, que se movia de um lado para o outro, de modo a impedir o caminho para a árvore da vida.»



As mais belas parábolas da Bíblia, 7 dias 6 Noites, Editores Unipessoal, Lda, Dezembro 2009




Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...