03/12/2015

Aegir

Deus dos mares e dos oceanos. 
Ao mesmo tempo que os marinheiros prestavam culto, também temiam esta divindade, pois acreditavam que Aegir aparecia de vez em quando à superfície para tomar a carga dos navios, e dessa forma, tanto homens como carga acabavam submersos. Por isso, eram realizados sacrifícios de forma a apaziguar Aegir, sendo sacrificados, muitas vezes, prisioneiros, antes de começarem a navegar.
O deus também é conhecido pelo entretenimento generoso que oferecia aos outros deuses. Casado com a deusa Ran, governante do mar, teve desta nove filhas, as donzelas do mar, que vestiam mantos e véus brancos.
Tinha dois servidores leais, Eldir e Fimaferg, mas este último foi morto pelo deus Loki durante um banquete realizado pelos deuses no salão submarino de Aegir, próximo da ilha Hler.
Alguns interpretes da mitologia nórdica defendem que Aegir não seria um deus, nem Aesir, nem Vanir, mas sim um gigante amistoso dos deuses, assim como a sua esposa Ran e as filhas, as Wave Nikr. Aegir está mais associado à regência das viagens marítimas e assuntos mundanos, do que à essência do mar, do oceano e do princípio da água, pois estes já são regidos por outra divindade Vanir, Njord. Desta forma, Aegir ou Ægir seria o comandante das criaturas aquáticas e dos Jotun marinhos, designados de Fjortun, sendo ele quem preparava o Hidromel dos Aesir.

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...