04/12/2015

A Dança de Morte de Kali


«Um monstro perverso devastava o mundo. Parecia invencível, porque cada gota de sangue que deitava ganhava vida e tornava-se em mais mil monstros prontos para lutar. Os deuses convocaram Kali e pediram-lhe que destruísse o monstro. Saltando imediatamente para a batalha, a terrível deusa matou mil demónios fazendo rodopiar a sua espada.
À medida que os matava, bebia-lhes o sangue, lambendo as gotas antes que pudessem ao chão e dar origem a mais monstros. Finalmente, sobrava apenas o monstro inicial, mas ela engoliu-o de uma só vez. Começando a dança da vitória, ficou cada vez mais frenética e fora de controlo, ameaçando toda a criação. 
Receando que o Universo fosse destruído, os deuses foram falar com o marido, Shiva, e pediram-lhe que interviesse e parasse a dança selvagem e destruidora. Porém, nem sequer a este ela prestou atenção, até que, em desespero, ele se atirou para a sua frente. Kali começou a dançar por cima do seu corpo. Por fim, vendo o que estava a fazer, saiu do transe em que se encontrava e parou de dançar. 
Desta forma o universo foi salvo da destruição da dança de Kali.»


Introdução à Mitologia Oriental, Coordenação de Clio Whittaker, Editorial Estampa, Abril 2000

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...