23/02/2015

Sísifo no Tártaro



O rei Sisífo (filho do rei Éolo, da Tessália e de Enarete, casado com Mérope e pai de Glauco e de Belerofonte) foi enviado para o Tártaro por ter morto os convidados e viajantes no seu castelo, violando as leis da hospitalidade, por ter seduzido a sobrinha e por ter contado ao deus dos rios Asopus do paradeiro da filha Egina, que havia sido conquistada por Zeus É que independentemente da incoveniência das conquistas frequentes de Zeus, Sisífo ultrapassou os seus limites ao colocar-se ao lado dos deuses, achando que poderia dar conhecimento das indiscrições destes. Quando Zeus ordenou a Tanatos para acorrentar Sisífo no Tártaro, este enganou Tanatos ao perguntar-lhe como é que as correntes funcionavam e acabou por acorrentar Tanatos, como resultado, não houve mais mortes. Isto fez com que Ares libertasse Tanatos e lhe entregasse Sísifo. Algum tempo mais tarde, Sísifo fez com que Perséfone o mandasse à superfície para repreender a esposa por não lhe fazer um enterro apropriado. Sísifo foi forçado a voltar ao Tártaro por Hermes quando se recusou a voltar ao submundo após a missão. No Tártaro, Sísifo viria a ser forçado a empurrar uma grande rocha subindo-a por uma montanha que, quando Sisífo chegava quase ao fim, rolava montanha abaixo e este tinha de voltar a subi-la repetidamente. Este acto representava o castigo por Sísifo ter afirmado que a sua esperteza era superior à de Zeus, fazendo com que o deus provocasse a queda da rocha pela montanha, impondo uma eterna frustração a Sísifo.




Fonte: http://www.mundos-fantasticos.com/mitologia/grega/deuses-e-herois/tartaro/


Sem comentários:

Enviar um comentário

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...