16/01/2015

Rotas de Tráfico Ilegal


O tráfico ilegal é um problema sério a nível internacional, e apesar de toadas as  tentativas para o deter, as redes responsáveis por este conseguem sempre arranjar maneiras de contornar a lei, usando muitas vezes pessoas em situações desesperadas.

Desde sempre que este tem existido, mas a globalização veio a diversificar as rotas, ainda assim é possível ver que determinado tipo de tráfico tem uma maior incidência em determinadas regiões do mundo. Dessa forma pode-se constatar que:

  • as principais áreas em crescimento das rotas de ópio (heroína)  estão centradas no sudeste asiático, mais fortemente,  e sudoeste do mesmo continente, enquanto que as de coca (cocaína)  encontram-se no oeste da América do Sul. - 
  • o tráfico de mulheres, embora generalizado é mais incidente na Europa e Ásia, sendo que muitas da vítimas são provenientes da Rússia, Europa Central e sudeste asiático. De forma menos intensa são as vítimas provenientes da América do Sul e África. Característica a ter em conta, é que estas redes são extremamente globalizadas e intercontinentais.
  • Mais local, são as redes de imigrantes ilegais, em que se vê o Norte da América do Sul (e da Bolívia) a fornecer os imigrantes à América Central e do Norte. Já o Norte de África desloca os imigrantes para a Europa Ocidental e há um movimento entre a Europa do Leste. De onde também vêm imigrantes ilegais para a Europa Central é mais uma vez do Sudeste asiático, que também os desloca para a Austrália, e daí para a Nova Zelândia.
  • As rotas de heroína são um problema que ocorre essencialmente no Hemisfério Norte, em que a Ásia usa a África Central ocidental como "tranpolim" para a Europa e América do Norte.
  • Mais espalhadas, são as rotas da cocaína, tendo como ponto de chegada e partida a África do Sul e ocidente da África Central

verde: cocaína / vermelho: heroína / roxo: imigrantes ilegais / amarelo: mulheres e crianças / ponto verde: área em crescimento de cocaína / ponto vermelho: área em crescimento de ópio

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...