02/12/2014

A Árvore de Natal




Quem pensa no Natal pensa logo em duas coisas: na árvore de Natal e no presérpio. Hoje iremos falar da árvore de Natal.

Geralmente uma árvore conífera de folhas perenes ou artificial este já era considerado um símbolo divino por civilizações antigas que habitavam nos continentes europeu e asiático no terceiro milénio a. C.. Estas crenças faziam a ligação entre as árvores e seres mitológicos. Sendo que a projecção vertical desde as raízes fincadas no solo, simbolizava a aliança entre os céus e a mãe terra.
Na Assíria a deusa Semiramis havia feito a promessa aos assírios de que, quem montasse uma árvore com enfeites e presentes dentro do seu lar, no dia do nascimento da deusa, esta iria abençoar aquela casa para sempre.
Por sua vez os egípcios associavam o cedro a Osíris, enquanto que os gregos ligavam o loureiro a Apolo, o abeto a Átis e a azinheira a Zeus.
Já mais no centro europeu, os germânicos colocavam presentes para as crianças sob o carvalho sagrado de Odin.

Mas o mais próximo da tradição atual, em que se usa o pinheiro, era efectuado na região dos países bálticos, em que os povos pagãos cortavam esta  árvore e levavam-na para os seus lares, nas vésperas do solstício de Inverno (22 de Dezembro) enfeitando-a de forma muito semelhante à atual árvore de Natal, tradição entretanto passada aos povos germânicos, que foi integrada já com o costume destes acima assinalado.

Existem várias versões para o "nascimento" da árvore de Natal:

  • No início do século XVIII, o moge benedito São Bonifácio, tentou acabar com esta tradição pagã, celebrada na Turíngia, para onde havia sido enviado como missionário. Com um machado cortou um pinheiro sagrado que os locais adoravam no alto de um monte, mas acabou por ter insucesso nas suas tentativas de erradicação da crença, decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade e as folhas resistentes e perenes deste à eternidade de Jesus.
  • Acredita-se também que esta tradição tenha começado em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero. Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que havia presenciado na floresta.
  • Outras versões, por sua vez, dizem que a moderna árvore de natal terá realmente surgido na Alemanha entre os século XVI e XVIII. Não se sabe exatamente em qual cidade ela tenha surgido.
No século XIX a tradição foi levada para outros países europeus e para os Estados Unidos, só tendo chegado à América Latina já no século XX.

Atualmente é uma tradição comum entre  católicos, protestantes e ortodoxos.



Fonte: wikipédia

1 comentário:

  1. Ainda não vi todos os teus textos porque não consigo ler tudo agora..mas estou a gostar do teu blogue.
    Não tens opção para seguidores, como faço para te seguir?

    PS. Os blogues são de facto o que mais me fascina.

    Bjs..continua!

    ResponderEliminar

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...