03/07/2014

Cassandra - A insana


Quem foi a mulher que tentou impedir, em vão, a entrada do Cavalo de Tróia para dentro das muralhas, mas que ninguém ouviu?


Cassandra era filha do rei de Tróia, Príamo, e da rainha Hécuba, era sacerdotisa no templo de Apolo.. Devido à sua enorme beleza, despertou o amor do deus Apolo, que era o deus da Luz, mas também da Adivinhação. Apolo concebeu à princesa o dom da profecia, na condição de que esta se unisse a ele.Nalgumas versões, Cassandra recusou-se a ter sexo com o deus, e despeitado, o deus olímpico, condenou a jovem a que ninguém jamais acreditasse nela e a ser tratada como louca. Noutra versão, inicialmente Cassandra consentiu unir-se a Apolo em troca do dom da profecia, mas então quebrou a sua promessa.
Em vão tentou dissuadir o irmão Páris de ir a Esparta, onde vivia Helena, prevenindo-o de que tal viagem viria a causar a desgraça da sua pátria e mais tarde opôs-se à entrada do cavalo de madeira em Tróia, pois havia visto a destruição da cidade.

De acordo com a lenda, Cassandra instruiu o irmão com o poder da profecia, de forma a este vir a tornar-se profeta. Tal como acontecia com a irmã, as profecias dele eram sempre certas, mas ao contrário com que acontecia com a princesa, as pessoas acreditavam nele.

Cassandra também previu que o primo Eneias escaparia durante a queda de Tróia e viria a fundar uma nova
nação em Roma.

No dia em que a cidade foi tomada, refugiou-se no Templo de Atenas, onde foi violada pelo rei grego Agamémnon. Seduzido pela beleza da princesa, o rei tornou-a sua escrava, e apesar dos avisos desta, partiram juntos para Micenas, onde foram assassinados pela rainha Clitemnestra e pelo seu amante, Egisto.

Cassandra foi enviada para os Campos Elísios após a morte, uma vez que a sua alma foi julgada suficientemente digna pela sua dedicação aos deuses e à sua natureza religiosa.





Fontes: 
http://www.mundos-fantasticos.com/mitologia/grega/deuses-e-herois/
http://en.wikipedia.org/wiki/Cassandra



Sem comentários:

Enviar um comentário

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...