30/06/2014

Liberdade de Imprensa - Realidade ou Sonho?

A Imprensa é um bem essencial a qualquer sociedade, imprescindível para o pensamento das populações de um dado país, e para o desenvolvimento deste. Quem detém a imprensa detém um forte poder manipulativo.
No ocidente fala-se muito da liberdade política, dá-se como garantida, no entanto uma liberdade a quase 100% é muito rara, e extremamente frágil.
Nos últimos anos tem-se assistido a algumas alterações na Liberdade de Imprensa, enquanto que alguns locais, como o Canadá assistiram a um aumento desta, outros, como a China ou a Argentina perderam.


28/06/2014

Dadaísmo - Arte Anárquica


No início do século XX deu-se o surgimento de vários movimentos artísticos, e com o despoletar de uma guerra com as dimensões e características únicas, e inesperadas, da Grande Guerra, as artes ressentiram-se com as rápidas alterações que ocorreram e com o fim de uma época de certezas, por muitos considerada uma época de ouro.
Em 1915 surgiu o movimento dadaísta (também conhecido por Dada, do francês dada, que significa cavalo de madeira, na intenção de mostrar o non-sense, ou falta de sentido que pode ter a fala de um bebé). 
Tratou-se de um movimento artístico da vanguarda moderna, iniciado em Zurique em 1916, no Cabaret Voltaire, traduzindo a instabilidade social que se fazia sentir, e que rapidamente se espalhou pelo resto da Europa e Estados Unidos.

Tinha como característica principal a ruptura com as formas de arte tradicionais, com forte conteúdo anárquico. Foi formado por um grupo de escritores, poetas e artistas plásticos (sendo dois deles desertores do serviço militar alemão), liderados por Tristan Tzara, Hugo Ball e Hans Arp.


As principais características do dadaísmo são o uso de objectos comuns do
 Édipo Rei, 1922, Max Ernst
quotidiano com apresentação num contexto artísticos; a irreverência artística, o combate às formas artísticas institucionalizadas; a crítica ao capitalismo e ao consumismo; o ênfase no absurdo e nos temas com conteúdos que fogem à lógica; o uso de diversos formatos de expressão, através de objectos do quotidiano, dos sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc, para a composição das obras de artes plásticas; e a apresentação de um forte carácter pessimista e irónico, principalmente em relação aos acontecimentos políticos do mundo.
Entre os diversos artistas dadaístas encontram-se Tristan Tzara, Marcel Duchamp, Hans Arp, Julius Evola, Francis Picabia, Max Ernst, Man Ray, Raoul Hausmann, Guillaume Apollinaire, Hugo Ball, Johannes Baader, Arthur Cravan, Jean Crotti, George Grosz, Richard Huelsenbeck, Marcel Janco, Clement Pansaers, Hans, Richter e Sophie Täuber.

Ludwig Kassak, 
A Batalha

Berr... bum, bumbum, bum... 

Ssi... bum, papapa bum, bumm 
Zazzau... Dum, bum, bumbumbum 
Prã, prà, prã... ra, hã-hã, aa...
Hahol...


 Presente, 1922, Man Ray
Torse gerbe. Jean (Hans) Arp, 1958


Rapariga sentada de costas, 1926, Salvador Dali

Fontes: http://www.infopedia.pt/$dadaismo;jsessionid=uj-rNEmfvC6sD-2AigLa3w__
http://www.suapesquisa.com/artesliteratura/dadaismo.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dada%C3%ADsmo

Desejo

«O condenado à morte deixou transparecer uma alegria comovida ao saber do indulto. Mas ao cabo de algum tempo, acentuando-se as melhora...